segunda-feira, 7 de abril de 2008

Destak - só visto

Escola proíbe abraços longos
Uma escola de Mesa, do Estado norte-americano do Arizona, decidiu proibir demonstrações públicas de afecto entre os seus alunos, nomeadamente beijos na boca e abraços que durem mais de dois segundos. Segundo a estação de televisão KPHO Phoenix, dezenas de alunos decidiram protestar, na passada sexta-feira, contra a decisão que já levou inclusivamente à suspensão de uma rapariga de 14 anos. «Acho ridículo», disse Chelsea Branham, a estudante que foi punida por abraçar um amigo depois das aulas. «O abraço não teve qualquer significado maior. Eu não estava a beija-lo, nem nada disso» acrescentou. Os alunos acabaram por fazer o seu protesto de forma bem original e apropriada à ocasião. Durante 20 minutos trocaram abraços fortes entre si, numa atitude de que visou demonstrar que o gesto não contém quaisquer conotações sexuais.
Multado por coçar em público
Um tribunal italiano decidiu proibir os homens de coçarem as suas partes íntimas em público, segundo notícia da Sky News. A decisão surgiu na passada quinta-feira, quando um tribunal de Roma decidiu não dar razão a um homem de 42 anos, que havia sido condenado a uma multa de 200 euros por «acto indecente grosseiro». O advogado do réu, mecânico de profissão, alegou que o homem apenas quis ajustar as suas calças e que não se estava a coçar. No entanto, o tribunal decidiu que «o contacto com os órgãos genitais em público é um sinal de má educação e que deve ser considerado um acto contra a decência pública». A decisão poderá custar caro a muitos homens italianos, uma vez que, em Itália, segurar ou tocar nas partes privadas é considerado um gesto supersticioso, para afastar o azar.
Mulher ressuscita no próprio velório
Uma mulher de nacionalidade peruana, que foi dada clinicamente morta, voltou à vida durante o seu próprio velório. Para espanto e assombro das pessoas que estavam presentes na cerimonio religiosa, que se realizou numa região no norte do Peru, a mulher recuperou os sinais vitais, segundo informa o site G1. Felicita Guizablo, de 33 anos, vitima de cancro generalizado, regressou à vida no ultimo sábado, quando era velada por familiares e amigos próximos. A mulher abriu os olhos no momento em que estava deitada no caixão e começou a mexer-se à frente de todos. «La muerta» (a morta), como agora é chamada na cidade onde vive actualmente, revelou que agora está bem e que voltou a viver com a Bênção de Deus. «Só estava com uma dor no estômago, mas deus curou-me e devolveu-me a vida», acrescentou a peruana que ressuscitou.