quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Processos mediáticos!



O processo dos vistos gold que envolve altos quadros do Estado, nomeadamente SEF, IRN e SIS, tem estado na ordem do dia, com a comunicação social a dar-lhe a cobertura mediática, o que não favorece em nada o regular funcionamento da investigação, porque há sempre demasiado ruído à volta do inquérito.

Pela experiência que temos, os processos de cariz mediático nunca são um bom exemplo de justiça, porque são sempre muito morosos e sem resultados práticos, porque raramente há condenações.

Os melhores advogados na nossa praça, não estão ali para colaborar com a justiça, mas apenas para criar e suscitar manobras dilatórias que apenas servem para protelar as decisões judiciais, pagos a peso de ouro.

Na opinião do cidadão comum que está alheado da tramitação dos processos de inquérito e sob investigação, suscitam-lhes algumas dúvidas, será que atualmente há mais corrupção na Politica e nos Órgãos do Estado ou há mais investigação e denuncia e a justiça afinal funciona?

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Violência doméstica



As recentes notícias de violência doméstica, deveriam envergonhar todos os homens!

Nem parece que vivemos num mundo civilizado. Segundo dados das entidades competentes, há cerca de 500 reclusos a cumprir pena de prisão por condenação por crimes de violência doméstica.

Isto significa que, os números são muitos mais elevados que estes dados, porque há processos em curso e outros que terminam sem condenação em prisão efectiva, a que acresce o fato de muitos dos casos a vitima ser coagida ou impedida de denunciar o problema.

O problema não pode ser visto de forma ligeira, sem ser analisar caso a caso, bem como as repercussões que têm ao nível da vida familiar, porque a maioria dos atos de violência acontecem na presença de crianças ou filhos menores, com efeitos negativos na sua educação e crescimento que se vão reflectir no seu futuro.

Vai mais uma taxa - Lisboa



A Câmara de Lisboa, decidiu cobrar uma taxa de 1 euro por passageiro que chegue ao aeroporto e ao porto e 1 euro por dormida em 2016.

Ou seja, cobra um 1 euro à chegada a Lisboa, por via aérea e marítima, que será cobrada a turistas e também a não residentes no concelho da capital.

Esta ideia não é nova, o Município de Aveiro já tentou a aplicação da mesma taxa, sem qualquer resultado prático e muita polémica à volta.

Há um ditado antigo que diz que “quem tudo quer tudo perde” que não é mais que matar uma galinha de ovos de ouro, com o objectivo de enriquecer o seu dono e acaba com os ovos e perde tudo!

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Boas notícias - Piscinas Descobertas de Celorico de Basto

Arrancam as obras das Piscinas Descobertas de Celorico de Basto


Prevêem-se em funcionamento a partir de julho de 2015.

Um dos espaços naturais com maiores potencialidades paisagísticas, turísticas e recreativas, os espaços contíguos da Ribeira de Boques, irão albergar as Piscinas Descobertas de Celorico de Basto. A obra está prestes a arrancar e prevê-se concluída a meados de julho de 2015. Com um valor global de investimento de cerca de 1.5 milhões de euros. 

"Esta obra, fruto de muito empenho e dedicação, vai finalmente arrancar. Andamos há três anos a labutar para conseguir dar a Celorico de Basto um espaço de lazer e desportivo com as melhores condições para os celoricenses e para receber quem nos quiser visitar. A nossa Ribeira de Boques é o espaço ideal para acondicionar este equipamento pelas características próprias do solo que permitem que as intervenções urbanas de relevante interesse público, que tínhamos em projeto, possam prosseguir", salientou o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva. O autarca realçou ainda a celeridade da conclusão da obra. "Temos por objetivo ter esta obra concluída com a maior celeridade. Se possível com os banhistas a usufruírem do espaço na próxima época balnear, a partir de julho de 2015", disse. 

Esta obra é cofinanciada pelo FEDER, Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, no âmbito do Programa Operacional da Região Norte do Qren. 

Este projeto das piscinas ao ar livre insere-se numa série de intervenções urbanas levadas a cabo pela autarquia tendo sido objeto de um pedido de reconhecimento de relevante interesse público, para efeitos do uso de solos da REN, tendo por base o Estudo Hidráulico da Ribeira de Boques e um estudo de Integração Paisagística da Ribeira de Boques.

As piscinas obedecem às normas para instalações desportivas de uso público sendo que o local reúne as melhores condições de exposição solar, de proteção contra os ventos dominantes e integra um parque urbano, conferindo-lhe as condições claramente ajustadas ao ambiente pretendido. Trata-se de um local em que os acessos estão garantidos através de caminhos pedonais e de um arruamento que remata numa praceta que alberga um grande parque de estacionamento de viaturas ligeiras e pesadas de passageiros.

A implantação de todo o conjunto destinado à piscina tem uma área total de 8340,00m2, conferindo um espaço 17 vezes superior à superfície dos planos de água propostos, quando as normas técnicas da Directiva CNQ 23/93 apenas exigem que seja 8 vezes superior.

Este equipamento destinar-se-á a atividades lúdicas e à aprendizagem desportiva, tendo-se optado por dois espaços separados. A organização deste equipamento propõe 4 zonas funcionais que correspondem a diferentes espaços distintos e de apoio à atividade pretendida; a zona de banho ou zona de cais, a zona de serviços anexos, a zona de serviços técnicos e a zona de serviços complementares. 

fonte  município