sábado, 31 de dezembro de 2011

Privatizar!

O lema é privatizar!

“Vão-se os anéis ficam os dedos”. 

Nunca este adágio esteve tão em voga em Portugal. A venda de 25% da EDP aos chineses representa mais um anel que sai dos dedos dos contribuintes portugueses, a preços de saldos. Continuamos a delapidar a nosso património empresarial estratégico que dá lucro aos cofres do Estado e a entrega-lo aos investidores estrangeiros, num negócio realizado à pressa, dada a necessidade de vender essa participação até ao final do corrente ano, conforme o memorando imposto pela Troika.

Mais um negócio ruinoso para o nosso país, conforme é reconhecido pelos chineses, que se preparam para compra os restantes 4%. Para a fotografia aparecem em primeira fila os nossos “políticos” para festejar a perda de uma fonte de receita para os nossos cofres, perdendo cada vez mais capacidade para intervir num mercado cada vez mais desregulado.

Puro liberalismo selvagem que estes Srs da Troika nos estão a impor, empobrecendo ainda mais os países pobres, para beneficiar os lobbys e interesses económicos dos investidores estrangeiros.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

MCC - Movimento Culpados Crise

O Governo quer cortar os três dias adicionais de férias a que os trabalhadores mais assíduos têm hoje direito.

Actualmente, os trabalhadores têm 22 dias de férias, no mínimo, mas a este período pode ser acrescentado mais um, dois ou três dias, conforme a assiduidade. O lazer , o descansar, retemperar energias é um bem que não se deve perder , principalmente para o equilíbrio pessoal e saúde mental. 

Por mim tirem às pessoas tudo, já falta pouco: salários; emprego; férias; direitos; etc. Estão a tirar o que há de mais intrínseco num cidadão de pleno direito ,a sua dignidade, personalidade, postura, hombridade. Continuem a entrar por esta espiral desenfreada de «política de motosserra», e vão ver onde vão parar. 

Os menos culpados , os que nada tiveram que ver com esta crise e descontrole do défice é que estão a pagar com língua de palmo , estas contingências . E, os culpados desta crise? Os senhores do BPN , porque não se penhora os seus bens? Como é possível andarem a deslocar-se e pavonear-se neste país de brandos costumes? Os gestores que levaram à ruína tantas empresas públicas? Os nossos governantes dos últimos anos ? 

Deveria haver um movimento dos culpados pela crise- MCC . O movimento MCC teria como objectivo levar a tribunal quem nos deixou chegar a este ponto e exigir que lhes penhorarem-se os seus bens e fossem castigados exemplarmente. Este país é uma bandalheira e um bando de corruptos. 

JJ 
in clube dos pensadores

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Pensamento cruzado!


A nossa triste sina!

Portugal não teve sorte no sorteio do europeu de 2012, por ter sido incluído no “grupo da morte” onde vai ter de ombrear com equipas como Holanda, Dinamarca e Alemanha. Já não bastava isto, ainda vamos levar com os alemães no recente acordo intergovernamental imposto pelo eixo franco-alemã onde continuamos a ceder aos interesses germânicos.

Por este andar, ainda vamos ser impulsos do euro e corridos do europeu de 2012 pelos alemães! 

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Prémio Manuel António da Mota

A União Europeia, decidiu assinalar 2011, como o ano europeu do voluntariado. 

Integrado neste evento, a Fundação Manuel António da Mota instituiu pelo segundo ano consecutivo o “ Prémio Manuel António da Mota”, com o objectivo de premiar as organizações promotoras de voluntariado que se distingam no desenvolvimento de actividades e projectos de voluntariado de relevante interesse social e comunitário. 

A convite da organização, o Grupo Desportivo de Codessoso, fez-se representar na Conferência pelo Presidente da Direcção Albino Monteiro e pelo Tesoureiro Fernandino Machado.

A cerimónia, promovida pela Fundação Manuel António Mota e a TSF, decorreu no Palácio da Bolsa, no Porto, e contou com as presenças do Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho, e do Ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares. Contou ainda com intervenções de Fernanda Freitas, Coordenadora Nacional do Ano Europeu do Voluntariado, António Mota, Presidente do Conselho de Administração do Grupo Mota-Engil e Manuela Ramalho Eanes, Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Manuel António da Mota. 

Ver mais!



sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Protesto!

Eleições russas levam activistas a despirem-se...

Moscovo




Num dos cartazes empunhados, podia ler-se 'Deus expulse o Czar', numa alusão a Vladimir Putin.

in correio da manhã

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Fórum - GDC

 
O Grupo Desportivo de Codessoso, vai a eleições no primeiro trimestre de 2012 para sufragar os novos Corpos Gerentes para mais um mandato de dois anos. 


Qual é a sua opinião sobre o trabalho desenvolvido pelo clube?

Acha de deve haver uma mudança da estrutura directiva?

Quem gostaria de ver a Presidente da Direcção e/ou a integrar os futuros membros dos Corpos Gerentes?

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Frase da semana!




Entrevista do primeiro-ministro à SIC.

"Portugueses têm uma das cargas fiscais mais elevadas da Europa"

sábado, 26 de novembro de 2011

Dívida pública!!

Portugal vai ter de conseguir soluções para pagar os 113 mil milhões de euros de empréstimo. O que significa que o custo do resgate que tivemos de pedir ao exterior vai ficar caro. Cada contribuinte vai ter de contribuir com € 3.500 (três mil e quinhentos euros), para pagarmos os empréstimos que estamos a contrair nos mercados externos, a juros elevados devido ao facto de assistirmos diariamente às variações dos mercados internacionais, motivados pelas Agências internacionais de rating que vão favorecendo os especuladores económicos internacionais. 

O que vem reforçando a tese, que o poder político continua subjugado ao poder económico dos mercados, é um liberalismo selvagem na sua forma mais pura. É uma pura vigarice dum sistema desregulado e entregue aos lobbies que dominam os grandes interesses camuflados, que a democracia ajudou a criar.

Quem lutou por uma democracia justa e fraterna não merecia isto?

domingo, 20 de novembro de 2011

Fórum

Já começaram as manifestações contra a reforma da administração local, que prevê a extinção de cerca de 2400 juntas de freguesia. Os protestos, tiveram início na cidade do Porto e foram promovidos pelo recém-criado "movimento, freguesias sempre", que contestam a reforma na administração pública. Segundo este movimento, a redução das freguesias "vai fazer reviver pequenas e antigas rivalidades locais e vai gerar instabilidade territorial, a juntar à instabilidade social que já se vive".


Como é que encara a possibilidade da extinção da Junta ou Freguesia de Codessoso?

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Notícia do dia!

FMI insiste na defesa de reduções salariais no privado. 

O representante permanente do Fundo Monetário Internacional em Portugal, Albert Jaeger, voltou nesta quinta-feira a defender que o sector privado deve seguir o exemplo do sector público e aplicar reduções salariais, repetindo as palavras da 'troika' desta quarta-feira. 

Acho bem que os privados também paguem a dívida pública, pois é preciso dar dinheiro para os salários chorudos dos funcionários da RTP, alimentar fundações que nasceram por todo ao lado, capitalizar os Bancos portugueses que nos últimos anos somaram milhões de lucros à custa do Zé Povinho! 

Triste sina a nossa! 

In correio da manhã

domingo, 13 de novembro de 2011

Humor negro!

O Euro (€) é a moeda oficial de 17 dos 27 países da União Europeia. O euro existe na forma de notas e moedas desde 1 de Janeiro de2002, e como moeda escritural desde 1 de Janeiro de 1999.

Veja o resultado de Portugal ter aderido ao euro!




quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Madeira em foco!


O Governo Regional da Madeira, decidiu dispensar os funcionários públicos regionais, para querendo, estar presentes na sua tomada de posse.

Mais uma medida populista e demagógica, onde Alberto João Jardim de apresenta ao seu melhor nível, pondo os seus próprios interesse pessoais e partidários à frente do interesse público dos madeirenses. Uma decisão que não é compreensível quando o país atravessa uma grave crise económica e o funcionamento parcial do sector público, causa graves prejuízos ao erário dos portugueses.

É por causa destas politiquices que o nosso país está como está e continua a marcar passo por essa Europa fora!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Futebol no seu melhor!

Continua o rescaldo do jogo Braga-Benfica deste fim-de-semana, com trocas de acusações entre os jogadores dos clubes. O Sporting de Braga foi sempre um clube simpático, mas há uns anos para cá, desde que luta pelos primeiros lugar da Liga e com a Presidência do clube entregue a António Salvador, o ódio e incidentes com os encarnados fazem parte do dia-a-dia quando as equipas de defrontam.

As situações são mais que muitas, é o caso dos problemas no Túnel no Estádio da Luz, as suspeições de facilitismo nos jogos com o FCP, quando o Braga era treinado pelo Domingos Paciência, as acusações que o Presidente dos bracarenses é adepto ferrenho dos dragões, com quem tem boas relações institucionais, como é o caso dos diversos negócios de jogadores.

A isto se junta, a meia-final da Liga da Europa e os recentes incidentes da última jornada, com as picardias entre jogadores e o famoso apagão que prejudicou o espectáculo desportivo. Uma coisa é certa, o Presidente dos arsenalistas por diversas vezes, tornou público que as pessoas de Braga deveriam apoiar o clube da terra, sabendo que existe uma grande massa de adeptos e simpatizantes do Benfica.

Como o futebol português tem vindo a dar uma “boa imagem” internacional, estes incidentes vão contribuindo para que Portugal seja falado por esse mundo fora!

É a sina desta gente!

Correio do leitor: APAM

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Multa para quem não pedir factura.

Governo quer aplicar multas aos contribuintes que não peçam, nem guardem as facturas.

De acordo com o orçamento de Estado, no ano de 2012 o contribuinte que não pedir recibos e facturas pelo pagamento de bens e serviços, sujeita a pagar uma multa que pode chegar aos 2000 euros e as empresas que não passem fractura poderão ser punidas com multa que pode ir de 150 a 3750 euros. Esta medida tem por objecto combater a evasão fiscal.

Outra medida orçamental, refere que os contribuintes vão poder deduzir até 5 % do IVA, nas despesas de restauração, numa tentativa de combater a evasão fiscal em sectores da económica onde o fenómeno é mais evidente.

Daqui se pode desde logo tirar ilações. Depois do que o Estado anda a saquear aos contribuintes o Governo ainda tem o descaramento para exigir aos portugueses que sejam “policias”, para combater a evasão fiscal, substituindo-se aos deveres de autoridade e fiscalização da administração fiscal.

O Governo restringiu a dedução de despesas de saúde e educação na factura fiscal. Só resta uma solução aos contribuintes para apresentar despesas, é gastar mais dinheiro em restaurantes, mas para isso é preciso dinheiro!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Petição

Para: Presidente da República, Assembleia da República, Primeiro Ministro.

Ex.mo Senhor Presidente da República
Exmo. Senhor Presidente da Assembleia da República
Exmo. Senhor Primeiro Ministro

Assunto: Fim da atribuição, antes dos 65 anos, das pensões de reforma aos detentores de cargos públicos e políticos, bem como da sua acumulação.

Face à crise que o nosso país atravessa, bem como ao facto de estarem a ser impostas aos portugueses medidas brutais, tais como aumento de impostos, redução nos salários e remunerações, cortes nas pensões de reforma, cortes nos apoios aos trabalhadores desempregados, corte em todos os apoios sociais, aumento do preço dos medicamentos para os que deles necessitam, etc., etc.
Considerando que o Estado gasta anualmente milhões de Euros na atribuição de reformas e outras subvenções a actuais e ex-detentores de cargos públicos e políticos, num regime de privilégio inaceitável e moralmente condenável, tanto mais indecoroso face às restrições impostas aos trabalhadores e aos cidadãos portugueses mais carenciados e desprotegidos.
Considerando que as mais severas restrições devem incidir em quem mais pode e que o exemplo deve ser dado por quem tem tido a responsabilidade de governar ao longo de todos estes anos;
Considerando que a esmagadora maioria dos portugueses só adquire o direito à reforma ou aposentação aos 65 anos, de acordo com os salários que auferiram durante a sua vida activa e com os condicionalismos que a lei impõe;

Os cidadãos subscritores desta petição exigem:

1 – Que sejam cortadas, de imediato, todas as pensões de reforma atribuídas aos actuais e ex- detentores de cargos públicos e políticos que não tenham atingido ainda os 65 anos de idade.
2 – Que sejam cortadas, de imediato, todo o tipo de acumulações de pensões pelo exercício de cargos públicos e políticos e que estas também não possam ser acumuladas com remunerações auferidas no exercício das suas actividades profissionais.
3 - Que o cálculo e o regime para a atribuição das suas pensões de reforma sejam, de imediato, iguais às dos demais trabalhadores portugueses.


Os signatários

http://www.PNETpeticoes.pt

domingo, 23 de outubro de 2011

Foto do dia!

Para reflectir?




Quando é que há coragem para alterar a lei, para que os políticos venham a ser responsabilizados pela gestão ruinosa do erário público?

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Correio do leitor!


Abolição de feriados até que enfim um boa notícia.

O primeiro feriado a ser anulado deve ser o 25 de Dezembro, pois sem o respectivo subsídio não faz sentido comemorar tristezas!

Depois o 1 de Maio, uma vez que estamos praticamente com a maioria dos trabalhadores no desemprego!

O 25 de Abril deve ser só considerado tolerância de ponto entre as 00H00 e as 6H00 da manhã!

O 10 de Junho deve ser eliminado, uma vez que quem manda nisto é a troika!

Devemos manter-nos inflexíveis na defesa do 1 de Novembro, pois é o dia dos mortos!

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Justiça alternativa!


Já que a justiça não funciona!

Um empresário de Penafiel descobriu uma forma original de cobrança de créditos!



terça-feira, 18 de outubro de 2011

Falar verdade ao país!


O Ministro das Finanças Vítor Gaspar vem justificar a necessidade de cortar no subsídio de férias e Natal na função pública para não despedir pessoas. Isto não passa de mais uma mentira, porque vai haver despedimentos no sector público e optou-se por fazer cortes nos salários, porque não há dinheiro para proceder de imediato aos despedimentos, devido ao facto de ter de indemnizá-los pela cessação do contrato.

Inevitavelmente vai haver reforma no sector público, apesar desta avançar a “passo de caracol”. Quando esta começar, tem de haver despedimentos, porque há serviços que vão acabar e outros que se vão fundir.

Como é possível falar aos portugueses que não há despedimentos? 

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Vida de reformado!...


Em Portugal muito se fala da elevada taxa de desemprego, mas se calhar somos dos países da Europa que mais trabalho dá aos reformados. 

Com salários chorudos e regalias mais que muitas, será um prémio de mérito por serem principais responsáveis pelo estado de “banca rota” a que chegou o Pais?

Ou será que não é trabalho, mas antes emprego?

Ora vejamos, alguns dos reformados activos:

Aníbal Cavaco e Silva - Presidente da República é um reformado;

Teixeira dos Santos - o anterior Ministro das Finanças Teixeira dos Santos já era um reformado;

Mira Amaral -  ex-ministro é reformado. Desde 2007 preside ao Banco BPI Português.

Alberto João Jardim - Presidente do Governo Regional da Madeira é um reformado.

Murteira Nabo – novo Presidente da Galp é reformado.

Santa Lopes – reformado e recentemente nomeado Presidente da Santa Casa da Misericórdia.

A tudo isto, ainda se juntam centenas de autarcas.

Para quem tanto discute que o Estado Social em Portugal está em risco, com as medias de austeridade!!!

sábado, 15 de outubro de 2011

Manifesto Internacional

82 países "unidos pela mudança global".

A onda de contestação denominada de “os indignados”, está a atingir proporções planetárias, tal é a indignação por este estado sitio. Hoje dia 15 de Outubro pessoas de todo o mundo saem para as ruas e as praças. Da América à Ásia, de África à Europa, as pessoas estão a erguer-se para lutarem pelos seus direitos e pedir uma autêntica democracia. 

Este protesto à escala mundial, denomina-se manifesto internacional:
"Unidos em uma só voz, faremos saber aos políticos e às elites financeiras que eles servem, que agora somos nós, o povo, que decidirá o nosso futuro. Não somos mercadorias nas mãos de políticos e banqueiros que não nos representam".

As recentes medidas de austeridade anunciadas pelo Primeiro-Ministro, provocou a adesão dos portugueses ao protesto.

Vídeo

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Madeira - 2011


Os madeirenses decidiram sufragar mais um mandato a Alberto João Jardim à frente dos destinos da Região Autónoma da Madeira, por maioria absoluta com menos votos que em eleições anteriores. Como se previa, não houve campanha eleitoral, mas apenas e tão só inaugurações e mais inaugurações de obras públicas.

Relativamente ao problema da dívida da Madeira, nem uma palavra. Quanto ao plano de austeridade que vai especificamente incidir sobre os madeirenses, nem uma única palavra. Alberto J. Jardim foi um crítico atroz às recentes alterações da Lei de Finanças locais, que lhe provocou a sua demissão, mas não satisfeito, recandidatou-se e aí, já não havia incompatibilidades normativas ou obstáculos à governação.

Destas eleições legislativas deveremos ainda retirar ilações; o Bloco de Esquerda não conseguiu eleger um único Deputado, o PS perde para o CDS que assim é a segunda força politica na Madeira. Mais, o Partido dos Animais consegue eleger um Deputado para a Assembleia Regional.

Estarão os madeirenses mais preocupados com os animais “ursos”, que a própria dívida pública?

E a vida continua, com os portugueses continentais a terem de apertar ainda mais o cinto, para pagar os devaneios do Presidente Jardim!

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Linha do Vale do Tâmega - a memória


O encerramento da Linha do Vale do Tâmega, deu lugar à construção de uma ecopista, que é um projecto que ainda se encontra em fase de execução. Para as populações, apenas resta a memória de quem durante dezenas de anos utilizou este meio de transporte.     

Com a construção da ecopista, apaga-se a imagem visual do tempo, ficando apenas a figurar para o futuro o património edificado que ainda resta, nomeadamente pontes, estações e cais. Para todos nós, apenas nos resta a esperança que as entidades públicas tenham a sensibilidade para assegurar a conservação e manutenção do património edificado que ainda resta.



Estação de Codessoso


Estação de Lourido


Estação de Celorico de Basto


Estação de Mondim de Basto



Estação de Canedo



Estação de Arco de Baúlhe

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A crise continua!


Segundo o Jornal Correio da Manhã, o défice das empresas públicas corresponde a uma dívida de € 3600 euros por cada português. No ano de 2010 a dívida cresceu ao um ritmo de 10 milhões por dia. Todos os portugueses se questionam, para onde foi o dinheiro? Porque não responsabilizam os administradores públicos pela gestão ruinosa do erário público!

Muitos destes administradores, são colocados à frente das empresas públicas por razões estritamente políticas, em resultado do clientelismo e boys da política. É tempo de acabar com as impurezas que rodeiam a coisa pública.

Este país precisa de uma vassourada, nesta escumalha que vive a expensas dos contribuintes, que são pagos a peso de ouro, que desgraçaram as contas destas empresas de forma irresponsável.

Não há despedimento com justa causa para estes senhores ou não há justiça neste país?

domingo, 25 de setembro de 2011

Notícias da terra


O projecto da Ecopista na antiga linha do Vale do Tâmega no troço entre a Codessoso e Arco de Baulhe, avança com toda a força. Desde o Verão do ano passado que o troço entre Amarante e Codessoso é está construído, numa distância de cerca de 10 kms, num piso composto de betuminoso colorido em tons de terra que confere comodidade e segurança a quem percorre a pé ou de bicicleta o percurso.

O traçado em terraplanagem de saibro já está a chegar à Ponte do Barreirinho!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Dívida da Madeira - Portugal

A dívida da Madeira envergonha-nos a todos perante as instâncias internacionais. Com uma crise económica sem precedentes, somos surpreendidos por uma dívida sem contornos, imbuída numa crassa ilegalidade, dum senhor que faz o que quer nesta “república das bananas”.

Alberto João Jardim ocultou, liberada e consciente a dívida às instâncias portuguesas que tutelam esta matéria, nomeadamente ao Banco de Portugal, argumentando tratar-se de estado de necessidade.
Onde já se viu isto!

São estas atitudes de irresponsabilidade dos nossos políticos, que andam a envergonhar os portugueses por esse mundo forma, dando uma imagem de caloteiros e pobretanas, incapazes que se governarem sem a intervenção das Instituições Europeias e FMI.

Este escândalo não é um problema da Ilha da Madeira é de Portugal. A dívida de mais de 1,6 milhões, não é um enigma dos eleitores, mas dos contribuintes que a têm de pagar, mas deveria ser um problema dos Tribunais portugueses.
Uns a fazer sacrifícios, com as medidas de austeridade, aumento dos impostos e outros a gastar à “fartazana”.

Agora aguardamos que haja a devida punição, mas para isso, é necessário que se aplique a lei para haver responsabilidade civil e criminal destes senhores que andam a brincar com o erário público.

O Alberto J. Jardim é uma pedra no sapato do PSD, que ninguém ousa confrontar por ser uma pessoa polémica, que usa e abusa de linguagem grotesca e assim se vai mantendo como o João “Robin dos Bosques”.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Isto é que é imaginação!

Jovem apalpa seios de mil russas em apoio a Putin
Uma forma original e diferente de prestar apoio politico ao seu candidato.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Sinal -


O Governo de Passos Coelho decidiu cortar na comparticipar as pílulas nas Farmácias, com o argumento que estes medicamentos vão continuar disponíveis e gratuitos nos Centros de Saúde inseridos no planeamento familiar. O que gerou diversas críticas, das quais se destaca o facto de ser um incentivo à gravidez não desejada e ao aumento dos abortos, sendo um desrespeito e retrocesso na vida das mulheres.

O Estado poupa aqui dinheiro, mas vai gastar mais recursos financeiros ao comparticipar a interrupção voluntária da gravidez nos Hospitais Públicos. A dúvida que suscita aos portugueses, é saber se não será uma medida para aumentar a taxa de natalidade, sendo certo que depois não vai haver abono de família para ninguém, pois o Estado continua a cortar nas prestações sociais.

Não faria sentido o Estado comparticipar o Viagra?

domingo, 11 de setembro de 2011

As Fundações

Em Portugal vale tudo para não pagar impostos, criam-se Fundações a torto e a direito, para branquear dinheiro e para ter benefícios fiscais. Algumas destas Fundações criadas nos últimos anos, são bem conhecidas dos todos os portugueses (Figo, Mário Soares, Sousa Cintra, José Saramago, etc…). Pena é que o pequeno contribuinte não tem forma de fugir ao fisco, pois tem de pagar a crise. É mais uma imoralidade desta podre democracia, em que o Governo tem de agir em conformidade para evitar situações vergonhosas.

BENEFÍCIOS ULTRAPASSAM OS 50 MILHÕES

A multiplicação de fundações durante os últimos anos representa um prejuízo financeiro cada vez mais significativo para as contas do Estado. Só em 2006, as 477 fundações cadastradas no Ministério das Finanças alcançaram benefícios fiscais de mais de 5o milhão de euros, mais 217 por cento do que os 17 milhões de euros atribuídos no ano anterior. Entre 2002 e meados de 2007, foram aprovadas em Portugal mais de 48 fundações. Entre 2007 e Março de 2011, os governos de José Sócrates reconheceram formalmente 41 novas fundações.

Fonte: correio da manhã 10.09-2011

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Paga Zé Povinho!


O BPN é mais um negócio ruinoso para o Pais.
 
O Governo cessante teve a infeliz iniciativa de nacionalizar um Banco BPN falido, por causa de negócios fraudulentos que ainda estão em fase de investigação, onde reinou a incompetência da entidade reguladora da actividade bancária Banco de Portugal.

O dinheiro gasto no BPN, com fundos na Caixa Geral de Depósitos, dava muito jeito a um país que está na “banca rota”, mas para proteger alguns políticos envolvidos na tramóia, especialmente da era cavaquista (Oliveira e Costa e Dias Loureiro) tentou-se remendar a situação, mas arranjaram outros problemas de difícil resolução.

Os portugueses esperam que os responsáveis, sejam severamente punidos pela gestão ruinosa e fraudulenta que lesou gravemente os interesses do país, por este escândalo que representa a corrupção ao mais alto nível.

Agora, a troika veio por a nu este enigma, obrigando o Estado português a acelerar a privatização do BPN de acordo com os prazos previstos no memorando que foi assinado com Portugal.

Terminado o prazo para a avaliação das propostas de compra do Banco, assiste-se a mais um negócio ruinoso para o país, devido ao facto da conjuntura económica não ser a mais favorável e o negócio ser realizado a preço de saldo.

O governo optou pela venda do BPN ao Banco BIC, num negócio que contornos que ainda não foram devidamente esclarecidos, que representa um óptimo negócio para os privados que vão pagar 40 milhões, mas os contribuintes vão pagar as indemnizações aos funcionários que entretanto vão ser despedidos, lesando assim os interesses dos seus trabalhadores e dos depositantes, ou seja, o Estado vai entrar com dinheiro para a capitalização do Banco, para a seguir mandar metade dos funcionários para a rua.

sábado, 3 de setembro de 2011

Mais do mesmo...


Nunca houve unanimidade na classe política portuguesa em matéria de opções políticas orçamentais. As medidas de aumento de impostos anunciadas pelo Ministro das Finanças para conseguir a consolidação orçamental, está a gerar criticas de todos os quadrantes, inclusivamente de vozes que se levantam do interior do PSD, como Ferreira Leite e Marques Mendes.

Enquanto oposição, Passos Coelho afirmou que não era justo onerar os portugueses com mais imposto, agora no Governo de cada vez que fala ao país é para aumento de impostos. O aumento da carga fiscal que está a ser seguida pelo Governo já foi objecto de criticas da membros da Troika, em virtude do equilibro das finanças publicas estar a ser feita por via do aumento de receitas em vez de ser realizada através do corte na despesa da máquina da administração pública.

Onde estão as medidas para incentivar o crescimento económico do país?

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Recorte - comunicação social


A morangada: uma geração rasca de actores

Por: Tiago Mesquita (www.expresso.pt)

Quarta feira, 31 de agosto de 2011

De alguns anos a esta parte, em especial desde que surgiram formatos televisivos amorangados, macacadas com vampiros de mochila às costas e rebeldias do acne que a televisão em Portugal (e parte do cinema por arrasto) se tornou numa espécie de viveiro de actores que apenas o são porque alguém os enganou enquanto espremiam as borbulhas uns aos outros num casting de manequins. Uma bandalheira generalizada. E perdeu-se espaço para o talento que marcou muitas e boas gerações de actores neste país.

A formação hoje em dia vem depois, quando o "actor" está farto de ser "actor" e decide ir estudar qualquer coisinha ligada à representação porque não pode fazer de adolescente toda a vida, normalmente escolhem o estrangeiro, vulgarmente Los Angeles porque " lá fora é que é bom". Para esta malta fazer um curso de representação nos EUA é como ir ali ao Pingo Doce comprar fruta da época, sabe bem. Resultado: em Portugal hoje em dia é comum uma pessoa sem qualquer formação ou aptidão especial para representar começar a fazê-lo, por variadíssimas razões, que vão da simples aparência ao facto de serem sobrinhos do não sei quantos ou, muito frequentemente, por não se importarem de dormir com metade da equipa de produção, som, imagem e ainda com o individuo que estaciona os carros à porta dos estúdios e vá -toma lá umas deixas que começas amanhã às 8 a ser uma vedeta.

Não querendo generalizar mas avaliando o estado geral de coisas (basta sintonizar as televisões portuguesas a algumas horas do dia e estar uns minutos atento - mas sem exageros não quero induzir o coma a ninguém) o vulgar jovem actor português de televisão é hoje uma espécie de batido de estupidez com natas e açúcar. E vale tudo. Do rapazola musculado modelo de roupa interior a fazer de galã mas com a expressividade de um pinheiro até à adolescente "boazona" mas que é necessário ter um tradutor de "troglodita" para português para se entender o que diz. Daí à passagem a apresentadores é apenas um passo, dois castings e três noitadas. Chamam-lhe produção nacional. Eu chamo-lhe disfunção cerebral. Completa estupidez de quem gere este sistema.

E nascem assim as novas "vedetas" deste país. Ganham tiques e começam a comportar-se como tal. O ridículo total. Alguns são detidos uns meses mais tarde por posse e venda de estupefacientes num qualquer bairro problematico dos arrabaldes. A passadeira vermelha está estendida a tudo o que é grunho. A maioria destas pessoas é desprovida de talento, capacidade ou inteligência. Infelizmente neste país à beira mar plantado e mal regado quem se dedica de alma a esta nobre arte de entretenimento do público através da representação, quem opta e sonha ser actor e para isso estuda e treina aptidões e a vocação com que nasce (não é coisa que de adquira na Bershka), raramente tem uma verdadeira oportunidade de o demonstrar, pois tem os caminhos tapados por uma fila de morangos deslavados e salas cheias de vampiros de boné na cabeça e brinquinho na orelha. Uma tristeza saloia.

História de vida!


Emocionante esta história de vida.


Uma apresentação da TV Coreana que recomendo verem.


É notável a apresentação e uma grande surpresa o resultado.


Que ninguém diga "tenho um grande azar".




sábado, 13 de agosto de 2011

Mais impostos

Aumento de impostos.

Este é o lema deste Governo. No fundo um somatório de medidas de austeridade, quando já não dá para apertar o mais o cinto, onde há mais de um milhão de portugueses a viver abaixo do limiar da pobreza.

O Zé Povinho é que tem de pagar a crise; o beco sem saída em que nos meteram os políticos portugueses incompetentes, que durante os últimos anos levaram o país para o abismo e para a banca rota. O Estado continua a gastar dinheiro e a viver à grande e à francesa, sem diminuir a despesa pública.

Quando é que vão começar a eliminar fundações, institutos públicos que ninguém sabe muito bem para que servem e reavaliar as parcerias públicas ou privadas, onde o Estado gasta rios de dinheiro que não tem qualquer utilizada pública?

Depois do aumento dos preços dos transportes públicos, foi a vez do aumento do IVA para 23 % no gás e electricidade, que representa um aumento de cerca de 12 €. Mais uma medida para combater o défice orçamental para este ano, por via da receita, em vez de combater o despesismo da máquina da administração pública, que já mereceu criticas dos elementos da Troika.

Nas últimas eleições fizeram uma campanha eleitoral miserável, sem revelar o que iam fazer, com meias verdades, a enganar o povo português, com promessas de resolução dos problemas de Portugal, mas escondendo a real situação económica, para a seguir quando se apanham no “poleiro”, gozarem com o pobre e com a miséria.

Já cortaram nos salários da função publica, subiram taxas moderadoras, instalaram portagens em tudo quanto é lado, subiram o IVA, subiram a idade da reforma, mas não há coragem para cortar nas pensões chorudas dos políticos, quadros técnicos da administração pública e militar, porque será que a classe politica não vem com a reforma com a idade do cidadão comum, será para premiar a incompetência que reina em Portugal?